Catorze Necessidades Fundamentais De Acordo Com Virgínia Henderson

Catorze Necessidades Fundamentais De Acordo Com Virgínia Henderson 1

As catorze necessidades fundamentais representam um modelo conceitual em ciências humanas e, especialmente, em cuidados de enfermagem. A visão da interdependência das necessidades humanas e de tuas respectivas satisfações, surgida da prática profissional de Virgínia Henderson, foi muito marcada pela corrente behaviorista.

Ensinados nos estudos de enfermagem, estas catorze necessidades fundamentais se basearam pela prática profissional de sua autora. Este modelo acrescenta a informação de satisfação de necessidades, ou melhor, a inteligência e a estratégia de poder preencher uma perda, e de conservar ou aperfeiçoar o estado.

Esta visão esquemática do funcionamento humano e das necessidades que exigem, é um guia pro profissional da saúde. A malha de as catorze necessidades também é utilizado para configurar a anamnese de uma pessoa e a arrecadação de detalhes, enfermeiros, no momento em que essa pessoa depender de assistência, e especialmente no momento em que requer cuidados médicos. Essa enumeração de suas necessidades bem como é utilizada em psiquiatria, ainda que os pacientes não tiverem requerido a assistência. 1.‐ Os enfermeiros têm uma função própria, apesar de que compartilhem atividades com outros profissionais de saúde. 2.‐ Quando um enfermerao assume o papel de médico, abandona a tua função própria.

3.‐ A comunidade espera um serviço de l enfermeiro, que não poderá conceder outro profissional. 1.‐ A pessoa atendida é um todo complexo, com 14 necessidades básicas. 2.‐ A pessoa quer a liberdade e se esforça pra atingi-las. 3.‐ Quando uma indispensabilidade não é satisfeita, então a pessoa não é um todo.

  • A raiva não está erradicada
  • Se você salvar seus sapatos em formas de madeira poderá que se preservem melhor
  • Michael Jackson
  • um The Legend of Zelda: Skyward Sword
  • 2016 – You and I (álbum póstumo)
  • 4 País basco francês
  • Desenvolvimento de tecnologias de estado sólido (microchips)

1.‐ O objetivo do tratamento é proteger a pessoa a satisfazer as tuas necessidades. 2.‐ O usuário do serviço é a pessoa que mostra um défice real ou potencial, a alegria de umas de tuas necessidades básicas. 3.‐ O papel do enfermeiro é complementar a autonomia da pessoa, ajudando-a a atingir a autonomia ou supliéndola em que não possa fazer. 1.‐ A Falta de potência física (e não se poderá fazer) ou psíquica (por que fazer, e para que). 2.‐ Falta de discernimento (o que e como fazer).

3.‐ Falta de desejo (inexistência o desejo de fazer). A intervenção do enfermeiro se circunscreve a acrescentar, completar, substituir, reforçar e/ou aconselhar. Capacidade da pessoa para manter as trocas gasosas, com um grau bastante e com uma bacana oxigenação. Capacidade da pessoa para ingerir e consumir, mastigar e deglutir. Igualmente, sentir fome, e logo, poder introduzir nutrientes suficientes para capitalizar a energia necessária para o desenvolvimento da própria atividade. Capacidade da pessoa pra, na forma autónoma cortar urina e matéria, assegurando a tua higiene íntima. Igualmente, saber excluir outros resíduos do funcionamento do corpo humano, mantendo a higiene corporal.

a Capacidade da pessoa para se deslocar sozinha ou com a auxílio de meios mecânicos, e também de emendar o teu domicílio, mesmo que seja em forma mínima e efeitos que o mesmo melhor se adapta às tuas necessidades e ao teu conforto.

do mesmo modo, ver os limites do próprio organismo. Capacidade de a pessoa a dormir o bastante pra se notar descansado, mais resposta, e com renovada iniciativa. Igualmente, saber gerir a própria fadiga e o próprio potencial de energia e dinamismo. Capacidade da pessoa para se vestir e desvertirse, bem como pra escolher e adquirir o teu vestido.