Crônicas Da Ásia

Crônicas Da Ásia 1

Móveis para todos e pra tudo. Quinze de abril de 2008.- Enviar um SMS pela Índia custa uma rúpia, menos de 2 cêntimos de euro. Recebê-lo, pode salvar a existência, acudir a atingir um prazeroso valor pela colheita, semelhante a uma doação no templo, fornecer livros pra aprender e até já podes-se supor o divórcio.

Nagpur é uma cidade situada bem no centro da Índia. Um símbolo pra idéia posta em marcha pelos Pocha, um casal que lançou um serviço que coloca em contato para doadores de sangue de todo o país, com qualquer pessoa que precise de uma transfusão de sangue urgente. O consequência leva em conta o grupo sanguíneo, a proximidade do domicílio e a adequação do voluntário, excluindo, por exemplo, aqueles que tiverem doado sangue no último mês. Dando um passo além, um outro casal de Delhi, os Verma, preparou um serviço parelho, e, assim como gratuito, para pacientes cujo grupo sanguíneo seja insuficiente frequente. Anúncio da Nokia na Índia.

Se diria que, enquanto cota do país vive no século XXI, eles perderam o trem e continuam instalados no XIX. Uma iniciativa da Agência Reuters lhes permite, a começar por há insuficiente receber mensagens com as previsões meteorológicas, os preços atualizados dos produtos que lhes interessa vender no mercado regional e notícias essenciais a respeito de as subvenções, auxílios e legislação.

Tudo por um euro por mês. Na prática, isso poderá querer dizer poupar viagens em balde pra cidade e, em geral, uma melhoria substancial das suas condições de vida. Em breve estará disponível o mesmo serviço na condição de mensagens de voz para aqueles que não saibam ler. Nas cidades, onde o ritmo de existência moderno, por vezes, se cobra o teu tributo e podes deixar alguns sem tempo pra destinar-se ao templo, o telefone smartphone também podes ser de ajuda. Mas não apenas o corpo humano e o espírito se beneficiam da tecnologia. Loja indiana de celulares. Menos que ninguém poderia esperar é que lhe comunicasen teu divórcio por SMS.

  • 26M.- CCOO e UGT abandonam o Pleno de Constituição de capital, por crer “ninguneados”
  • o que O casal deve marcar pela mesma cidade em que se realizou o casamento
  • Oficial: Splitter é um miliardário
  • Central de Dados: Estatísticas do jogo

Mas isto é o que acontece com muitas mulheres muçulmanas, cujo insuficiente fino marido resolve mesclar a frieza tecnológica com os sentimentos. Os ulemas (juízes muçulmanos) de umas regiões consideram aceitável e válida esta prática que, porém, é ilegal e não tem efeitos jurídicos. O problema vem no momento em que o casamento não tenha sido cadastrado (qualquer coisa comum pela comunidade muçulmana), pois que não se pode denunciar o fim de algo que teoricamente nunca existiu.

Enquanto você lê isso, a Índia tornou-se o segundo país com mais smartphones do mundo, após a China. São trezentos milhões de dispositivos que podem mudar a cara de um nação e a existência de milhões de pessoas.